©  2019 por Lane Lucena | vivasuaessencia@outlook.com | (88) 98132-0111 Ceará | Brasil

  • White Facebook Icon
  • Instagram - White Circle
  • White Google+ Icon
Siga
Viva Sua Essência

October 20, 2019

Please reload

Posts Recentes

O que é a Ansiedade?

October 20, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Feridas emocionais da infância mais comuns e que interferem na vida adulta

May 24, 2018

 

Os problemas vividos na infância podem provocar algumas cicatrizes emocionais que podem indicar como será nossa relação com o mundo quando adultos. Podem ainda, influenciar significativamente na forma como os nossos filhos se relacionarão conosco e com outras pessoas no futuro.

Feridas emocionais da infância mais comuns e que interefem na vida adulta:


📎 A traição e o medo de confiar
Surge quando a criança se sente traída por um de seus pais, principalmente no descumprimento de promessas. Pais que prometem muitas coisas para os filhos e nunca cumprem.

📎 A injustiça
A injustiça como ferida emocional se origina em um ambiente onde os cuidadores primários são frios e autoritários, isso porque uma exigência exagerada de exercer limites gera sentimentos de impotência e inutilidade, tanto na infância como na idade adulta.

📎 O medo da rejeição
O medo da rejeição é uma das feridas emocionais mais profundas, porque implica na rejeição de nós mesmos, do nosso interior, ou seja, das nossas experiências, dos nossos pensamentos e dos nossos sentimentos. Uma criança que tem medo de ser rejeitada não se sente digna de receber afeto ou de ser compreendida e por isso se isola em seu vazio interior.

📎 O medo do abandono
A solidão é o pior inimigo para quem foi negligenciado ou abandonado na infância. Crianças que ficam muito tempo sozinhas e que são impedidas de brincar com outras crianças sentem muita solidão.

📎 A humilhação
Esta ferida surge quando, em algum momento, sentimos que outros nos desaprovam ou nos criticam. Podemos gerar esse tipo de problemas nos nossos filhos se dissermos que são maus, estúpidos ou se os compararmos à outras crianças; isto destrói a autoestima deles.

 

(Texto adaptado do artigo original no site psiconlinews.com).




Abraços,
Lane Lucena
...................................................................
Psicanalista Clínica, pós-graduada em comportamento organizacional e gestão de pessoas. Especializações em psicopedagogia clínica e psicologia e saúde mental. 

Agendamentos:
🛋️ www.psiqueanalise.com/consultorio 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload