G-D8LLWBXBP3
top of page
  • Foto do escritorLane Lucena

Vivenciando o Luto: um caminho de cura e transformação

Atualizado: 24 de mai.


O luto é uma experiência universal, inerente à condição humana. Independentemente de cultura, idade ou contexto, todos em algum momento enfrentam a perda de um ente querido. Este artigo busca explorar como vivenciar o luto de maneira saudável, oferecendo insights e estratégias para navegar por esse difícil processo.


O processo do Luto


O luto é um processo individual e único, variando amplamente de pessoa para pessoa. A psiquiatra Elisabeth Kübler-Ross, em seu livro "Sobre a Morte e o Morrer" (1969), descreveu cinco estágios do luto: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação.


Embora nem todos experimentem esses estágios da mesma forma, eles oferecem uma estrutura para entender as emoções que muitas pessoas enfrentam.


  • Negação: inicialmente, pode ser difícil aceitar a realidade da perda. A negação atua como um mecanismo de defesa temporário, ajudando a amortecer o impacto imediato da perda.

  • Raiva: à medida que a realidade se instala, a dor pode ser redirecionada como raiva. Essa raiva pode ser direcionada a objetos inanimados, estranhos, amigos ou familiares.

  • Barganha: durante esta fase, a pessoa pode tentar fazer acordos ou barganhas com um poder superior em troca de alívio da dor emocional ou reverter a perda.

  • Depressão: uma tristeza profunda e duradoura é comum nesta fase, quando a pessoa começa a entender a magnitude da perda.

  • Aceitação: finalmente, a aceitação não significa felicidade, mas sim a compreensão de que a vida deve continuar e a pessoa começa a encontrar maneiras de seguir em frente.





Estratégias para vivenciar o Luto


  • Permitir-se sentir: é crucial permitir-se sentir todas as emoções associadas ao luto. Suprimir sentimentos pode prolongar o processo e causar mais sofrimento a longo prazo.

  • Buscar suporte: amigos, familiares ou grupos de apoio podem oferecer um espaço seguro para expressar sentimentos e compartilhar experiências. A terapia com um profissional também pode ser extremamente benéfica.

  • Cuidar de si mesmo: manter uma rotina que inclua exercícios físicos, alimentação saudável e descanso adequado pode ajudar a melhorar o bem-estar físico e emocional durante o luto.

  • Memorializar o ente querido: criar rituais ou memórias tangíveis do ente querido pode ajudar a manter a conexão e honrar sua memória. Isso pode incluir escrever cartas, criar álbuns de fotos ou estabelecer uma data para lembrar a pessoa.

  • Permitir-se sorrir e sentir alegria: sentir momentos de alegria e felicidade durante o luto não diminui a importância da perda. Esses momentos podem ser sinais de cura e resiliência.




Vivenciar o luto é um processo desafiador, mas também pode ser um caminho de transformação pessoal e de cura. Ao permitir-se sentir, buscar suporte e cuidar de si mesmo, é possível encontrar uma maneira de seguir em frente, honrando a memória dos que partiram enquanto se constrói um novo sentido de normalidade. Lembre-se, cada pessoa tem seu próprio ritmo e modo de lidar com a perda, e tudo bem buscar ajuda ao longo do caminho.



Sou a Lane, uma apaixonada pela escrita expressiva, mãe e psicanalista. Vivo o meu propósito a cada dia. Acredito que estamos juntos, numa constante troca de saberes.


Referência Bibliográfica
Kübler-Ross, E. (1969). Sobre a Morte e o Morrer. Simon & Schuster/Touchstone.



5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page