G-D8LLWBXBP3
 
  • Lane Lucena

As seis lições de uma ex-ansiosa por Ana Paula Ramos

Atualizado: 27 de abr.


Existe uma frase que diz que viver, antes de qualquer coisa, é aprender a ler entrelinhas. De alguma forma, é isso mesmo que a vida quer de nós: um pouco de sabedoria para lidar com aquilo que os nossos olhos ainda não conseguem ver. E uma boa dose de paciência e coragem para entender que tudo tem o seu tempo, que existem coisas que não podemos mudar e que, para todas as outras, nunca é tarde demais. O futuro é uma incógnita, por mais bonitinho e arrumadinho que ele possa parecer, e ficar se martirizando por causa dele, o tempo todo, é como viver uma vida presa, um viver que é um não viver, entende?


Durante muitos anos, sofri no corpo e na alma todas as dores de ser uma pessoa ansiosa. Bastante ansiosa, admito, do tipo que ficava sem dormir e sem comer, que não conversava com as pessoas ou que dava patadas em quem só estava tentando ajudar por pura falta de controle emocional. Tudo porque o nervosismo causado pela expectativa – fosse ela boa ou ruim – me consumia de tal forma que eu simplesmente não conseguia viver o presente. Ansiosa, eu desperdiçava o meu tempo colecionando dores e sofrimentos desnecessários, doenças e problemas que nunca me levaram a lugar algum que realmente valesse a pena.


Foi só depois de um tratamento sério (porque a ansiedade me levou a uma quase depressão) que eu finalmente aprendi seis lições preciosas que mudaram a minha vida e que me fizeram enxergar o mundo – e a mim mesma – com olhos mais generosos e humanos. É sobre elas que eu quero falar com você. Topa?


Lição 1


O tempo perdido não volta mais, mas nunca é tarde para recomeçar: se a gente quer mudar e fazer diferente, o primeiro passo é tirar dos ombros todo o peso da frustração pelo que passou, pelo que deixou de ser, pelo que, na verdade, nunca foi. Esse peso que nos impede de seguir em frente sem vacilar, sem retroceder. A gente pode cair, sim, pode ser que outros pesos, ainda maiores, apareçam por aí. Pesos maiores que o arrependimento, pesos maiores que o tempo. Mas, se cair, a gente levanta e segue firme para onde for. Porque a força que existe dentro da gente é maior que todos os pesos do mundo. Maior que a saudade. Maior que a ausência. Maior que a dor. Como já dizia Caio Fernando Abreu: “A força de dentro é maior que todos os ventos contrários. É maior porque é do bem”.


Lição 2


Cansado de se decepcionar? Pare de criar expectativas: não dá para brincar de ser adivinha ou vidente. Não dá para esperar que os outros ajam da forma que você agiria, pensem como você pensaria, tomem atitudes que você tomaria diante disso ou daquilo. Simplesmente não dá, porque cada um é cada um, e é justamente aí que está a graça da vida. Entender que o mundo é plural e que o ser humano tem o direito de ter a sua individualidade, que cada um tem o seu tempo e, principalmente, que criar expectativas é trazer à tona um turbilhão de ansiedades desnecessárias é o primeiro passo para melhor lidar com as adversidades da vida quando elas vierem. Porque, não se engane, elas virão.


Lição 3


Criar expectativas não tem nada a ver com cultivar esperança. Tenha esperança e acredite em você, sim, todos os dias: pensar que vai dar errado é o primeiro passo para realmente dar errado. Pensar que não vai conseguir é receita infalível para o fracasso. Pensar que não vale a pena é dar asas à desmotivação. Se você não acredita em você, quem é que vai acreditar? Todos nós guardamos, lá no fundo, uma fagulha de esperança. Deixar que ela se apague é questão de escolha. Eu acredito no seguinte (e daí a importância do tal do acreditar): só quem tem esperança é capaz de acordar todos os dias e seguir em frente. Se você não concorda, me responda uma coisa: que sentido teria acordar e nada esperar da vida? Às vezes é difícil, é claro que é difícil. Mas, por mais que você esteja com problemas, não deixe de acreditar em dias melhores, porque eles virão, pode ter certeza. O pensamento tem muita força. E isso não tem nada a ver com criar expectativas.


Lição 4


Se existe alguma certeza na vida, me arriscaria a falar que é essa: tudo tem um motivo: às vezes acontecem coisas que nos tiram, mesmo que por um momento, a paz interior que tanto lutamos para ter. Coisas que, de alguma forma, acabam se transformando em grandes lições, mesmo que a princípio a gente não consiga enxergar ou perceber o que elas querem nos dizer. Nem sempre é fácil; na maioria das vezes é realmente muito, muito, muito difícil. Mas, como dizem, “não há mal que não venha para o bem”. Não se preocupe, o presente é justamente do jeitinho que tem que ser. Tudo está certo, porque o Universo é perfeito e sábio demais.


Lição 5


Com o tempo a gente aprende a respeitar o tempo do outro e, principalmente, o nosso próprio tempo: e sabe o que a gente aprende também? Que não adianta brigar com o mundo, pedindo isso e aquilo, se a gente não fez por merecer, se ainda não chegou a hora ou se, principalmente, aquilo que a gente tanto quer não é o melhor para nós. A vida tem sempre uma coisa boa guardada pra gente e às vezes é justamente no desistir que reside a verdadeira coragem. Porque (e esse é um dos grandes aprendizados da vida) não adianta dar murro em ponta de faca, causando-nos sofrimentos desnecessários. Nem apressar o tempo. Ele é sábio demais. E já corre sozinho.


Lição 6


Planeje, tenha metas, cultive sonhos, construa o quebra-cabeça da sua vida, mas viva o presente com intensidade e presença efetiva: você precisa pensar no futuro, sim. E ter uma razão maior pela qual valha a pena levantar da cama todos os dias e viver. Visualizar um futuro mais próspero, mais justo, mais bonito, mais humano e mais feliz é uma daquelas coisas que nos impulsionam a querer fazer sempre mais pelo outro e por nós mesmos. Pensar no futuro é bom. Desejar e trabalhar por um futuro melhor é bom. No entanto, tenha sempre em mente: a vida é aquilo que acontece no meio do caminho. Esteja presente durante a trajetória de corpo, alma e coração. É na caminhada que a mágica acontece!



E se eu puder falar uma coisinha a mais, aí vai: tudo o que é seu dará um jeitinho de chegar até você. Se agora está difícil, espera, trabalha e confia: sem ansiedade, por favor. A vida sabe o que faz.



Ana Paula Ramos é life coach, jornalista, escritora e criadora do Cookies and Words, um espaço onde ela fala sobre missão e propósito, coaching, transformação e mudança de vida, vulnerabilidade e vários outros assuntos ligados à área de desenvolvimento pessoal. Com três livros publicados, sendo um deles um romance e os outros dois sobre autoconhecimento e desenvolvimento humano, Ana ajuda pessoas a se reconectarem com a sua própria essência e fazerem escolhas mais alinhadas com a sua verdade. Saiba mais sobre ela no www.anapaularamos.com.


Site: www.anapaularamos.com

Facebook: facebook.com/anapaulasr



Lane Lucena

🛋️ Autora

∞ Mãe da Carol, psicanalista, apaixonada pelas palavras. Desenvolvedora da metodologia que floresce pessoas por meio da escrita: Flor&Ser


Projetos 👇

linktr.ee/lane.lucenapsicanalista

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo